Mulheres

Dieta e ovários policísticos: Confira dicas com nutrólogo

Postado em: 23-11-2020 às 10h50
Segundo o nutrólogo Dr. Sandro Ferraz, o consumo de alimentos inflamatórios pode agravar o caso assim com determinados nutrientes podem diminuir os sintomas - Foto: Divulgação

Igor Afonso

A Síndrome do Ovário Policístico (SOP) é caracterizada por um distúrbio hormonal que pode causar desde irregularidade no ciclo menstrual até problemas graves como obesidade e infertilidade. Segundo estatísticas, a síndrome atinge entre 5 a 10% das mulheres. Em muitos casos a alteração pode ser assintomática, mas independentemente da forma como se manifesta, a alimentação pode ser uma grande aliada contra a SOP. 

 

De acordo com o nutrólogo Dr. Sandro Ferraz, o estilo de vida e o que é consumido impactam no agravamento do problema. Isso porquê o alto consumo de alimentos ricos em açúcares aumenta os processos inflamatórios do organismo. “Mulheres que sofrem com essa síndrome devem controlar a ingestão de carboidratos e dar preferência aos alimentos integrais. Essas ações ajudam a evitar pico glicêmico e de insulina, que podem trazer complicações”, aponta. 

 

Segundo um estudo pulicado na revista Nutrition Research Reviews, que revisou publicações acerca da relação entre a SOP e alimentação, foi constatado que os alimentos que mais desencadeiam processos inflamatórios nas pacientes são os altamente calóricos, ricos em carboidratos refinados de alto índice glicêmico, com grande porcentagem de gordura e pobre em fibras, características da Dieta Ocidental.

 

A preferência na dieta deve ser por alimentos frescos e anti-inflamatórios. “As refeições devem ser regulares e balanceadas. Frutas e vegetais são bem-vindos, assim como carnes magras, peixes e aves. Açúcar, sal, café e álcool devem ter uma participação mínima na dieta, pois são desencadeantes de processos inflamatórios”, recomenda o Dr. Sandro Ferraz. 

 

O tratamento da Síndrome do Ovário Policístico tem como objetivo reduzir o hiperandrogenismo, controlar os ciclos ovulatórios, assim como os eventuais sintomas. “Além da terapia medicamentosa, a mudança no estilo de vida ajuda a regular a função ovariana. Por isso, prática esportiva regular, controle de peso, dieta balanceada e redução de hábitos nocivos como tabagismo e consumo de álcool são fundamentais para a melhora dos parâmetros da SOP”, defende. 

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja pesquisar